14.2.11

 cinema 

O Cinema Anarquista de Shuji Terayama


Shuji Terayama é responsável por uma das mais seminais escolas de teatro do mundo, a Tenjo Sajiki, onde havia muito experimentalismo e o texto era de um dadaísmo incrível, porém foi no cinema, aliado à estética visual visceral e psicodélica que Terayama uniu o lirismo do Tenjo Sajiki a atuações completamente alucinadas, muitas vezes ao som de clássicos como Tchaikovski, Stravinski e Liszt, com cacofonias ao fundo e anarquia nas imagens, é quase impossível explicar com palavras essa experiência visual.

Polêmico no Japão e no resto do mundo, Terayama mexeu em feridas pouco discutidas naquela época, fins dos conturbados anos 60 e início dos anos 70, como em seu filme de maior repercussão, o "Imperador Ketchup", onde adultos que tirassem qualquer tipo de liberdade das crianças, como de expressão e sexual eram condenados a castigos e à morte. Parece que estamos assistindo a "Un Chien Andalou" de proporções ainda maiores, como se Buñuel e Lynch tivessem dirigido um filme depois de muitas rodas de drogas alucinógenas.

Deixo aqui algumas imagens para atiçar àqueles que ficarem curiosos, e digo, se interessaram-se, procurem, pois Shuji Terayama é um cinema diferente de tudo que se produz hoje - e até mesmo naquela época.





















4 comentários:

Samuka disse...

Estou com "Imperador Ketchup" aqui em casa, mas não vi ainda,
realmente parece bem diferente.

adá disse...

Issaê Gabe, chegou chegando! Fiquei instigadan! No pc Samuel? Se eu jogar um cd de dvd na sua mão você grava pa mim? To superfeliz com vocês!

Samuka disse...

blz, gravo sim.
pode deixar que sábado eu levo um cópia =)

Felicidade Clandestina disse...

estou com esse filme na lista, mais cadê tempo para vê?

depois desse post, preciso assistir logo =)

4 Comentários
Comentários

Assista!


























­Ss##########

۞۞۞۞۞۞۞۞۞۞۞۞۞۞۞۞۞۞۞۞۞۞۞۞۞۞۞۞


Desde 2008

plano de fundo: "Emancipação" de Elisa Riemer